quinta-feira, 3 de julho de 2008

DEZ RAZÕES PARA VOCÊ CONTROLAR SEUS GASTOS



Cortar gastos no orçamento é um sacrifício para você? Para a maioria das pessoas a escolha não é nada fácil, já que ninguém gosta de abrir mão daquilo que aprecia e, para muitos, este é dos grandes prazeres da vida.

Porém, é preciso ficar alerta aos sinais. Se você já não cabe em nenhuma calça, certamente já sabe que está na hora de controlar o peso, e provavelmente já está pensando em qual dieta seguir. O mesmo raciocínio vale para sua vida financeira. Mas quando saber que está na hora de controlar os gastos?

Sinais de alerta
Abaixo listamos algumas situações que servem de alerta, pois sugerem que você está perdendo o controle de suas finanças e esta pode ser a hora de entrar em ação.
Até hoje, você nunca recusou um cartão de crédito
Boa parte dos consumidores recebe várias ofertas de cartão de crédito, mas acaba recusando, pois já possui outro cartão. Mas, no seu caso, isso não é bem verdade. Entre cartão de varejista, da montadora, das revistas que assina, e dos bancos em que possui conta, quantos plásticos você já possui?

Se você se encaixa nesta descrição, vale a pena lembrar que a sua renda não está aumentando a cada cartão novo que aceita. Muitos consumidores erroneamente consideram o limite do cartão como um acréscimo na sua renda pessoal, e começam a comprar tudo com o crédito extra, para depois serem surpreendidos com faturas que não têm condições de pagar. De agora em diante, comprometa-se a viver dentro dos limites da sua renda, e não da soma dos limites dos seus cartões.


Você compra por impulso?
Você já comprou alguma coisa só porque estava em liquidação? Já se esqueceu de algumas das coisas que comprou? Mesmo tendo comprado algo há meses, ainda não usou? Esconde algumas das coisas que comprou por vergonha?

Se você respondeu afirmativamente a alguma das perguntas anteriores, então muito provavelmente você se encaixa no perfil de um consumidor impulsivo. Neste caso, faça um esforço para coibir este ato. Se preciso for, procure ajuda! Os Devedores Anônimos existem para isso. Você vai se surpreender com o quanto conseguirá economizar cortando os gastos por impulso!


Você não resiste a uma boa propaganda?
Se você é daqueles que compra artigos que sequer conhecia, mas que, depois de ver anunciados na TV, na internet, ou na vitrine do shopping, simplesmente se convence de que não conseguirá viver sem eles? Este é um caso típico de consumidor que se deixa influenciar pela propaganda, e que, portanto, não tem controle sobre as suas finanças pessoais.

A menos que você queira que seu orçamento seja determinado pelos anunciantes, é melhor pegar um lápis e borracha e fazer um plano de gastos. Estabeleça metas de poupança de curto e longo prazo e adapte seus hábitos de consumo neste planejamento. Isso vai ajudá-lo a controlar melhor seus gastos.


Seu dinheiro acaba antes do final do mês
Se todo o mês você precisa pedir adiantamento ao seu chefe porque não tem como arcar com as despesas, pode até ser que necessite mesmo de um aumento, mas ele certamente não virá se você não demonstrar que consegue gerir melhor suas finanças pessoais.

Tente ver a situação do ponto de vista do seu empregador. Ele também tem obrigações, e para isso se planeja. Sempre que lhe adianta dinheiro, precisa rever outras despesas, sacar a quantia extra que estava aplicada do caixa. Qualquer que seja a situação, ela nunca é favorável, e isso pode até prejudicar sua imagem. Porém, o mais preocupante é o efeito que a incapacidade de gerir as próprias finanças causa na sua vida.

Se você só consegue fazer a compra do supermercado estourando o limite do cheque especial, então sua situação necessita ser revista imediatamente. Mesmo que cortar gastos seja dramático, o prazer de não ter que se preocupar com credores e atrasos certamente lhe fará bem, e pode até contribuir para um melhor desempenho profissional.


Você não se preocupa com dinheiro!
Muitas pessoas adotam uma postura despreocupada com seus gastos, pois acreditam que isso não é sua responsabilidade. Estamos falando de jovens que estouram o limite do cheque especial, porque não se deram ao trabalho de controlar o saldo, mas sabem que podem sempre contar com uma injeção de recursos vindos da conta dos pais.

Pior ainda é a situação de casais, em que um dos cônjuges acredita que não precisa se preocupar com o controle do orçamento, porque isso fica a cargo do seu companheiro (a). Este é um comportamento totalmente irresponsável, pois não leva em consideração que, depois do gasto incorrido, existe muito pouco o que possa ser feito, de forma que, dependendo do orçamento disponível, estes abusos podem se traduzir no pagamento de juros no cartão, ou no atraso do pagamento de alguma fatura.


Você nunca poupou na sua vida
Não existe nada mais fácil do que gastar. O difícil é poupar, e se você adota hábitos de consumo irresponsáveis, não é de se surpreender que tenha chegado à vida adulta sem qualquer tipo de reserva financeira. Assim, estabeleça metas de poupança de forma a acumular uma reserva de emergência equivalente a algo entre 3 e 6 meses de despesas.

Lembre-se que esta reserva é, como o nome sugere, para emergências. Portanto, nada de tocar no dinheiro para comprar aquele celular com câmera que você tanto quer. Aproveite para planejar melhor suas despesas periódicas como gastos com IPTU, IPVA, férias etc. Você vai ver que um pouco de disciplina de sua parte vai evitar que gaste seu dinheiro em besteiras.


Você não tem idéia de quanto deve?
Uma coisa é não ter idéia precisa do quanto deve, mas se não tiver sequer uma noção aproximada do quanto está devendo, e não se importa com a situação, você já perdeu completamente o controle de suas finanças.

Está na hora de arregaçar as mangas, juntar todos os extratos que possui e calcular o quanto efetivamente está devendo. Dependendo da quantia, pode valer a pena se desfazer de algum bem para quitar a dívida mais rapidamente. Pense em se desfazer daqueles artigos que comprou por impulso, ou que não conhecia até ver anunciados em primeiro lugar. Muitas vezes eles foram comprados através de crediário e a devolução pode resolver seu problema.


Você não sabe ao certo se terá emprego amanhã?
São cada vez mais raros os casos de pessoas que se aposentam em uma empresa depois de terem trabalhado por mais de 30 anos. A realidade do mercado de trabalho atual sugere que um profissional deve esperar trocar entre três e quatro vezes de trabalho durante a sua vida profissional. E se isso acontecer porque você foi forçado a procurar emprego, sua situação financeira pode acabar seriamente comprometida, já que os credores não adiam o pagamento durante o prazo em que você estiver desempregado.


Você não acredita no planejamento da aposentadoria ?
Você já trabalha há mais de 10 anos, já passou dos 30 anos, e ainda não economizou nada. E acha que ainda é cedo para falar de aposentadoria, pois pode trazer má sorte? Neste ritmo, você não irá acumular o suficiente para garantir uma aposentadoria tranqüila, e provavelmente o único planejamento possível será trabalhar até o fim da vida para garantir seu sustento.

Porém, já pensou se, por uma fatalidade do destino, você sofre um acidente e fica impedido de trabalhar? Por mais que você se sinta bem hoje, a verdade é que não há como prever o que irá acontecer. Mais ainda, no ritmo em que estamos vivendo, uma coisa é certa: o tempo está passando cada vez mais rápido e antes de você se dar conta terá envelhecido. Ter controle sobre o tipo de aposentadoria que poderá gozar é algo que vale a pena o esforço de adiar, por alguns meses, ou anos, o consumo desnecessário de alguns bens.

Retirado do INFOMONEY.

Nenhum comentário: