sábado, 25 de abril de 2009

CLARICE E EU



Hoje eu acordei me lembrando do livro que estou querendo comprar há algum tempo, de Clarice Lispector,"CORRESPONDÊNCIAS" em que ela escreve para as irmãs...Sei que pode parecer "fominhagem de livros".Mas este livro , ah, este livro....

Olha que coisa linda que Clarice escreveu para a irmã dela , Tânia....Dá para a gente aproveitar para nossa vida....


Berna, 2 de janeiro de 1947

Querida,

Não pense que a pessoa tem tanta força assim a ponto de levar qualquer espécie de vida e continuar a mesma. Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso — nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro. Nem sei como explicar minha alma. Mas o que eu queria dizer é que a gente é muito preciosa, e que é somente até um certo ponto que a gente pode desistir de si própria e se dar aos outros e às circunstâncias. Depois que uma pessoa perder o respeito a si mesma e o respeito às suas próprias necessidades — depois disso fica-se um pouco um trapo.

Eu queria tanto, tanto estar junto de você e conversar e contar experiências minhas e de outros. Você veria que há certos momentos em que o primeiro dever a realizar é em relação a si mesmo.

Não pude deixar de querer lhe mostrar o que pode acontecer com uma pessoa que fez pacto com todos, e que se esqueceu de que o nó vital de uma pessoa deve ser respeitado. Ouça: respeite mesmo o que é ruim em você — respeite sobretudo o que você imagina que é ruim em você — pelo amor de Deus, não queira fazer de você uma pessoa perfeita — não copie uma pessoa ideal, copie você mesma — é esse o único meio de viver.

3 comentários:

Nana disse...

Monica, que lindo o texto, eu adoro a Clarice, ela é tão moderna, mesmo não estando conosco.
Bjs

Carolina disse...

Clarice, sempre Clarice...
LIndo!!!
bjos meus

Lyeah disse...

Menina, quero ler este livro também! Seu blog é um show!! E a indicação também! Parabéns e Beijosss