segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Quero ser um pouco mais "fútil"!




As vezes sinto falta de papos leves,e aparentemente "fúteis".Como por exemplo,aprender na Revista Boa Forma algumas dicas de beleza.Parece que depois de uma certa época da vida,a gente fica "pesada".Pesada de responsabilidades e preocupações.

Esta semana tenho que encarar a cirurgia de Amígdalas do meu filho(amanhã) e isso já me fez envelhecer 10 anos! Recentemente foi a cirurgia do meu pai,de aneurisma na aorta.Daqui a algum tempo será a cirurgia do meu irmão.Isso sem falar da cirurgia para extrair mais um dente que fraturei.Deus do céu! Quando é que vou poder me sentir mais leve nesta história toda?

Sei que a leveza precisa estar dentro de mim primeiro.Acho que a primeira coisa que tenho a fazer é "entregar" a DEUS as coisas que não consigo controlar.Entender que muita coisa não depende de mim.

E quanto ao que AINDA depende de mim,procurar fazer sempre o meu melhor.













domingo, 7 de agosto de 2011

ENCANTANDO...




Neste final de semana fui a STA TEREZA,minha segunda cidade no Espírito Santo,na FESTA DA UVA E DO VINHO.

No Show do KID ABELHA(que foi a atração principal), a música que mais me tocou foi AMANHÃ É 23.A letra,profunda e triste,é mais um exorcismo da compositora e vocalista Paula Toller com a mãe,que costuma elaborar suas questões pessoais e transformar em músicas encantadoras.





Descobri numa matéria da REVISTA ÉPOCA,outras LETRAS de Paula que foram inspiradas em sua vida pessoal.
Quem tiver curiosidade clique AQUI.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

TRABALHANDO OS LIMITES (Biblioterapia)




"Além disso, tenho prolemas de limites com os homens. Ou talvez não seja justo dizer isso. Para ter problemas com limite, é preciso ter limites, certo? Mas eu sou inteiramente tragada pela pessoa que amo. Sou como uma membrana permeável. Se eu amo você, eu lhe dou tudo que tenho. Dou-lhe o meu tempo, a minha dedicação, o meu dinheiro, a minha família, o meu cachorro, o dinheiro do meu cachorro, o tempo do meu cachorro - tudo.


Se eu amo você, carregarei para você toda a sua dor, assumirei para você todas as suas dívidas (em todos os sentidos da palavra), protegerei você da sua própria insegurança, projetarei em você todo tipo de qualidade que você na verdade nunca cultivou em si mesmo e comprarei presentes de natal para sua família inteira. Eu lhe darei o sol e a chuva e, se não estiverem disponíveis, darei-lhe um vale sol e um vale de chuva. Darei a você tudo isso e mais, até ficar exausta e debilitada que a única maneira que terei de recuperar minha energia seria me apaixonar por outra pessoa."


Este trecho do livro "COMER,REZAR E AMAR"lembra muito a minha relação com as amizades.Primeiro viro "AMIGA DE INFÂNCIA" para depois virar "INIMIGA DE OUTRAS VIDAS".Acho que os amigos que ficaram até hoje são aqueles que possuem seus próprios limites e não se deixam "permeabilizar" por mim.Porque quando eu me esgoto dessa "doação" eu simplesmente enjoo da cara da pessoa e nunca mais quero vê-la.Desequilíbrio total,galera! Ainda bem que agora com a terapia tô começando a entender o processo repetitivo que acontece e me cuidando melhor com relação a isso.