terça-feira, 31 de agosto de 2010

CURSO : LIVRO DE FAMÍLIA





O curso que fiz na ESCOLA DO ESCRITOR em São Paulo, LIVRO DE FAMÍLIA, além de ser extremamente enriquecedor culturalmente , me fez querer procurar conhecer melhor meus ancestrais e ir atrás de "colagens" da minha infância.

Segundo nosso professor ARMANDO ALEXANDRE DOS SANTOS , a procura por este tipo de trabalho tem sido bem grande, assim como o estudo da NEOGENEALOGIA. A justificativa , segundo o professor, é a procura do ser humano atual, em tempos de internet e mundo globalizado , pelas suas raízes. A busca por uma "SENSAÇÃO DE PERTENCIMENTO"( pertencer a uma comunidade, a um país , a uma geração )

Uma frase da colega de curso, a escritora Eliana Maciel resumiu :

"Nós somos seres de muitas asas , e poucas raízes "

Desde o dia do curso, estou procurando organizar minhas "raízes".Já tinha feito no ano passado um FOTOLIVRO DE FAMÍLIA ,de presente para os meus pais, que emocionou todo mundo...

Descobrí um site na Internet MY HERITAGE
que ajuda nisso.

sábado, 28 de agosto de 2010

SER TIA É MAIS DIVERTIDO !



Quando vejo minha cunhada Renata envolvida com meu sobrinho Henrique, penso na mãe que não fui e que gostaria de ter sido para o meu filho, quando ele ainda era um recém nascido.Renata é a mãe que todo bebê deveria ter : amorosa, organizada, metódica, disciplinada. Eu já era o contrário :uma mãe que não sabia o que fazer com seu bebê, e chorava dia e noite.

Claro que existe a história de uma depressão pós-parto não contada nisso tudo.Além disso, era fato que eu não tinha a mínima estrutura psicológica para ter sido mãe naquela época, mesmo já sendo trintona. Apesar de ter também sido um pouco "mãe" dos meus irmãos quando pequenos, eu não tinha a mínima noção de como um bebê dava trabalho, e de que eu teria que parar um pouco minha vida frenética de produtora de vídeo para cuidar dele.

Apesar de não ter a mínima vocação pra uma "mãe arrependida de uma novela mexicana", qualquer contato com bebês novinhos ainda mexe muito comigo.

Esta noite , por exemplo,depois que voltei há quase uma semana da viagem a São Paulo onde conhecí e pude curtir meu sobrinho Henrique, agora com quase dois meses , ainda estou tendo "sonhos de resolução de sentimentos mal-resolvidos". Sonhei que Renata e Luis tinham deixado Henrique sozinho comigo aqui em Vitória. Eu estava louca pra "devolver" Henrique para os pais, e não sabia o que fazer com ele cada vez que ele chorava. Numa das cenas do meu sonho maluco, eu havia deixado o bebê com as fraldas todas sujas de cocô há horas, e só depois é que eu percebera.

Confesso que foi um alívio acordar e ver que tudo tinha sido um pesadelo classe B.
Uma tia enlouquecida querendo "devolver" o sobrinho para os pais o tempo todo.

Resumo da ópera : apesar de achar o meu sobrinho o mais lindo bochechudo de todos os sobrinhos, prefiro ele na companhia dos pais, para que eu possa "devolver" a qualquer momento quando começar a chorar e ficar vermelho.

Graças a DEUS hoje meu filho Matheus tem 15 anos e eu brinco com ele : "Filho, você é um herói, você conseguiu
sobreviver a mim !"


Ele rí das histórias que eu conto, e hoje eu já consigo rir delas também , mesmo que eu ainda sonhe com bebês sujos de cocô chorando e outras cenas assim.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

QUANDO A VIAGEM FAZ EFEITO ?


No auditorio do Teatro Gazeta, com Salete, uma nova amiga que fiz em São Paulo.


Acabei de voltar de São Paulo e já estou me sentindo "outra" pessoa.

Pra mim , uma viagem faz "efeito" quando você volta com mais vontade de trabalhar, de desenvolver, de ir ao encontro das coisas que quer e precisa.

Uma viagem faz "efeito" quando você volta mais afetiva, com vontade de fazer o bem e distribuir amor para os que vivem ao seu lado.

O curso que fiz na Bienal , LIVRO DE FAMÍLIA, me fez querer conhecer mais sobre a história dos meus antepassados, e buscar grandes lições de vida com isso.

Já a palestra/gravação do programa ELAS E LUCROS foi uma grande oportunidade que DEUS me deu de conhecer a MARA LUQUET e ANDREA ASSEF, que até então só conhecia pela Internet. Aprendí muito com elas e voltei com muita vontade de organizar minhas finanças,pra poder fazer novas viagens pra São Paulo e outros lugares do mundo.



Mara Luquet e eu.



Andrea Assef e Monica Loureiro ( eu )

domingo, 15 de agosto de 2010

SENTIMENTAL EU SOU




Minha primeira viagem sozinha depois de 15 anos, desde que meu filho Matheus nasceu.Vontade de ficar comigo mesma, bater altos papos,saber quem eu ainda sou de verdade.

No fundo quem parece que tem 15 anos sou eu, e parece que estou indo pra um outro país, de tão emocionada. Sou eu quem ouço meu filho dizer : - Relaxa, mãe, você só vai pra casa do tio Luis em São Paulo. Pior sou eu , que vou pra Itália.

Aí ele me faz relembrar sem querer que fez inscrição num intercâmbio , e que já está querendo criar asas.Se achando . Filho da mãe.Nem se preocupa com minha saudade Aquele menininho que nasceu ontem. Sacanagem . Pra que ter filho se a gente tem que deixar ele voar depois ?

Preciso parar de querer ver o "custo-benefício" das coisas.Parar de querer pensar se as coisas da vida só valem a pena pelo "resultado" que elas dão. Preciso começar a curtir a jornada, sem me preocupar com alguma chegada.

Preciso voltar a contemplar os filmes, ouvir e sentir suas músicas.

Como a trilha sonora do AMELIE POULAIN , por exemplo .





P.S- Esta história de ir pra Bienal do Livro mexe com a gente !

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

SAINDO DO CÍRCULO VICIOSO

Já acordou de manhã, se achando ridícula, completamente enjoada e desanimada de você mesma ? Olhando pro espelho, e dizendo :

- Você permitiu que isso acontecesse de novo ? Virou "amiga de infância" da pessoa, acabou falando demais , e agora a pessoa está "se achando" o "último biscoito do pacote" ?

Aí, eu mesma respondo :

- Eu não permiti não. Foi culpa desse aí ( e aponto o meu inconsciente ) . Esse aí vive me aprontando( afinal quando a gente está "Tadinho" a culpa sempre é dos outros)

Teve uma época que fiz umas sessões de terapia em que eu relaxava , e a terapeuta dizia que iria "conversar com meu inconsciente" . Era gostoso, eu acordava bem tranquila e cheia de vontade de resolver as coisas.

Sinto que de vez em quando , se eu permito, fico girando em círculos, repetindo os mesmos erros, tendo "ganhos secundários" em não evoluir, em ser mais uma "Tadinha" na vida que precisa reclamar de tudo.

Aí, quando quero resolver alguma coisa, escrevo, escrevo, escrevo....mando pra um, pra outro, converso com Fátima, minha terapeuta, converso com Paulo, meu coaching/consultor,escrevo, escrevo e escrevo...e acabo tendo ótimos insights :

- Pôxa , por que não pensei nisso antes ?

E quando percebo , consegui transformar aquela energia estagnada em algo mais saudável e produtivo.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

QUAL O SEU CONCEITO DE RIQUEZA ? O QUE É RIQUEZA PRA VOCÊ ?



Tô lendo o livro de Suze Orman ( colega da Oprah ),AS MULHERES E O DINHEIRO e um dos "exercícios" que tenho que fazer é definir o que é riqueza pra mim .

Pra mim, riqueza é qualidade de vida.
Tempo.Tempo pra pensar na vida.Tempo pra não fazer nada.
Férias.
Férias sem culpa.
Poder dormir a tarde quando eu quiser. E não dormir se não quiser.

Pra mim, riqueza é saber que meu trabalho é importante , que faz diferença na sociedade, que muita gente está se tornando mais feliz porque eu existo e trabalho.
Riqueza também é dar e receber carinho.
Riqueza é poder conversar horas com meu filho, conversas sadias , e sentir que temos a mesma sintonia e a mesma vontade de agregar.
Riqueza é tomar um vinho com o marido, jantar com os amigos , conversar e rir muito.
Ser rica pra mim , é parar de querer "comprar afeto".
Ser rica é nunca sofrer por dinheiro, e nunca permitir que um ser humano sofra por dinheiro na minha frente.
É olhar as pessoas pelo que elas são, e nunca pelo que elas tem. É olhar o imenso potencial que cada ser humano possui e fazer algo para desenvolvê-lo, sem esperar nenhum retorno.
Ser rica é poder ser criança sem ter vergonha. É ter disposição para os pequenos prazeres da vida, os que são de graça.

Riqueza pra mim, antes de mais nada , é acreditar na abundância e na Providência Divina, e nunca na escassez.
É ter esperança , o tempo todo, e acreditar sempre.

Ah, e claro, poder ler todos os livros que tenho vontade.